Paraíso Niilista – O Vazio e o Nada se encontram


 
Seção Poemas
 

loucura

Uma vez um garoto
Por teimosia duvidou
E foi a fundo a provar
A vacuidade humana
De todos ignorada

O forte e o fraco
O nobre e o baixo
O certo e o errado
O verdadeiro e o falso
Nada passou ao largo

É tudo cambiante – humano
É tudo impreciso – científico
É tudo ridículo – ritualístico
É tudo falso: o veredicto

Até sua razão deu às pernas
Quando deu consigo mesma
E assim fui ter comigo mesmo
Sem medo, sem medida
Sem valor e sem juízo
Assim tendo tornei-me claro
A vacuidade humana
Que buscava

Espere garoto, não parta triste
Esta vida não o merece
– disse-me a loucura –
Depois de lutar ao lado da verdade
Teve de matá-la pela liberdade
Se desejava ser verdadeiro
O foi por completo
Perdeu a razão
Tentando sê-lo
E pulou fora deste erro
Mesmo que para o abismo

André Díspore Cancian
[sine data]
 
[retornar ao índice]
 
 




    RSS Paraíso Niilista
  Paraíso Niilista – O Vazio e o Nada se encontram
Copyright © Paraíso Niilista – O Vazio e o Nada se encontram
:: Caso encontre erros, aprenda com eles ::
[On-line há ]
[última atualização: 15/11/2015]
  [Powered by]
intelligence...