Paraíso Niilista – O Vazio e o Nada se encontram


 
Seção Poemas
 

nada

Valor – eis o que a vida não possui
Deveres – eis o que a vida não possui
Ora, que seria a vida
Se valor e dever nela houvesse?
Tirania e opressão
Imposição e grilhão

Valor impessoal – calabouço abissal
Dever impessoal – escravatura infernal
Referência absoluta é prisão
É tirania de valoração

O absoluto me causa aversão
Esta prisão lamacenta
Adornada de pomposa ilusão
É cela que enoja minhas entranhas
Nojo, asco e repulsão:
Eis o que me inspira toda religião

Impessoal valoração
Este invisível grilhão
Despoja nossas vidas
Do vazio que é libertação

Onde habita o nada
Coabita a liberdade
E no vazio desta vida
Faz-se mister a criação

Nossa virtude está em nada ser
E mesmo assim criar
E mesmo assim valorar

Nossa virtude está em nada crer
E mesmo assim viver
E mesmo assim percorrer
Este infinito corredor vazio

Nascidos no vazio
Amamos esta ausência
Porque se a vida é nada
A vida é livre

André Díspore Cancian
[sine data]
 
[retornar ao índice]
 
 




    RSS Paraíso Niilista
  Paraíso Niilista – O Vazio e o Nada se encontram
Copyright © Paraíso Niilista – O Vazio e o Nada se encontram
:: Caso encontre erros, aprenda com eles ::
[On-line há ]
[última atualização: 15/11/2015]
  [Powered by]
intelligence...