Paraíso Niilista – O Vazio e o Nada se encontram


 
Seção Poemas
 

Quanto vale a vida

Quanto vale a vida de qualquer um de nós
Quanto vale a vida em qualquer situação
Quanto valia a vida perdida sem razão
Num beco sem saída, quanto vale a vida
São segredos que a gente não conta
São contas que a gente não faz
Quem souber quanto vale
Fale em alto e bom som

Quantas vidas vale o tesouro nacional
Quantas vidas cabem na foto do jornal
Às sete da manhã, quanto vale a vida
Depois da meia-noite, antes de abrir o sinal
São segredos que a gente não conta
E faz de conta que não quer nem saber
Quem souber fale agora ou cale-se pra sempre

Quanto vale a vida acima de qualquer suspeita
Quanto vale a vida debaixo dos viadutos
Quanto vale a vida perto do fim do mês
Quanto vale a vida longe de quem nos faz viver

São segredos que a gente não conta
São contas que a gente não faz
Coisas que o dinheiro não compra
Perguntas que a gente não faz
Quanto vale a vida?

Nas garras da águia
Nas asas da pomba
Em poucas palavras:
No silêncio total
No olho do furacão
Na ilha da fantasia
Quanto vale a vida?

Quanto vale a vida na última cena
Quando todo mundo pode ser herói
Quanto vale a vida quando vale a pena
Quanto vale quando dói
São coisas que o dinheiro não compra
Perguntas que a gente não faz
Quanto vale a vida?

Humberto Gessinger
[sine data]
 
[retornar ao índice]
 
 




    RSS Paraíso Niilista
  Paraíso Niilista – O Vazio e o Nada se encontram
Copyright © Paraíso Niilista – O Vazio e o Nada se encontram
:: Caso encontre erros, aprenda com eles ::
[On-line há ]
[última atualização: 15/11/2015]
  [Powered by]
intelligence...