Paraíso Niilista – O Vazio e o Nada se encontram


 
Seção Poemas
 

solidão

A rotina persuade a resistência
O cansaço persuade a desistência
A esperança empilha grãos de areia
Para deixar alguma história
Como se uma página nova
Fosse contar algo novo
Ou o esquecimento
Apagando algumas palavras
Refizesse algum sentido
Ao refazer sentenças
Como se sentido fosse fato
E não o eterno refazer-se
De quem deu por si no terremoto
                   [de si mesmo
E nunca usou os ouvidos
Para se acreditar o único
A gritar em silêncio

Depois do branco, do vermelho e do cinza
O negro ainda será uma metáfora
Do insípido e do incolor
Da mesma e única solidão
Onde cada um chora sua dor

André Díspore Cancian
[sine data]
 
[retornar ao índice]
 
 




    RSS Paraíso Niilista
  Paraíso Niilista – O Vazio e o Nada se encontram
Copyright © Paraíso Niilista – O Vazio e o Nada se encontram
:: Caso encontre erros, aprenda com eles ::
[On-line há ]
[última atualização: 15/11/2015]
  [Powered by]
intelligence...