Paraíso Niilista – O Vazio e o Nada se encontram


 
Seção Poemas
 

Você gostaria que o dia se repetisse?

No aguardar da hora justa,
Na mente uma única certeza:
Um dia não escolhido,
nem tão pouco esquecido.

Encontrar em pensamentos
um lugar mal visitado;
uma palavra obtendo fracasso;
um caminhar entre fantasias;
um dia cinzento e uma noite fria.

As ruas pareciam mortas.
Ninguém andava, ninguém sorria.
Os pássaros em conflitos,
uns gritavam, e outros aflitos.

tudo parecia tão estranho,
parecia não existir.
Uma imensidão oculta,
um desafinado infinito tímido.

Era um dia diferente,
que clamava em silêncio
uma verdade sem dramas
onde todos enxergassem
defeitos e qualidades,
na busca da humildade
de admitir que vivemos enganados.

Pobre pensador num mundo encantado,
em algum lugar do passado
entre a verdade e a questão
gerando ouvintes que se iludem
com uma breve confissão.

E quando o dia se repete,
para tédio não há remédio,
alguns se escondem assustados,
com dores e cicatrizes.

Outros surgem sedentos para gritar:
– Desistam! O mundo não vai mudar.

Tardes de lágrimas, noites de dores,
sonhos perdidos, e apenas uma vontade:
O desejo de que os dias não se repitam.

Flávia Dellamura
[sine data]
 
[retornar ao índice]
 
 




    RSS Paraíso Niilista
  Paraíso Niilista – O Vazio e o Nada se encontram
Copyright © Paraíso Niilista – O Vazio e o Nada se encontram
:: Caso encontre erros, aprenda com eles ::
[On-line há ]
[última atualização: 15/11/2015]
  [Powered by]
intelligence...