Paraíso Niilista – O Vazio e o Nada se encontram


 
Seção Reflexões
 

a eterna fuga

Parece terrivelmente sombrio viver neste vácuo de significado. Que vida mais vazia, não? Ora, é claro que sim. Mas passamos a maior parte do tempo tão envoltos em ilusões e futilidades que superficializam nossa consciência que o vazio da existência raramente encontra a porta da mente aberta para vir nos assombrar, arrastando suas correntes e gemendo no sótão da consciência, falando “Nada vale a pena, é tudo em vão... em vão”. E, se isso não assustar, então aparece logo o negro espírito de Schopenhauer sussurrando “Nada merece nosso esforço, todas as coisas boas são apenas vaidades, o mundo é uma bancarrota e a vida, um mau negócio, que não paga o investimento. Para ser feliz, é preciso ser como as crianças: ignorante”. Isso sim dá muito medo! E vamos logo correndo atrás de algum afazer para tirar nossa cabeça dessa miséria, e assim continuamos, indefinidamente, em nosso taedium vitae, até que as luzes se apaguem e a paz derradeira venha nos redimir.
André Díspore Cancian
[sine data]
 
[retornar ao índice]
 
 




    RSS Paraíso Niilista
  Paraíso Niilista – O Vazio e o Nada se encontram
Copyright © Paraíso Niilista – O Vazio e o Nada se encontram
:: Caso encontre erros, aprenda com eles ::
[On-line há ]
[última atualização: 15/11/2015]
  [Powered by]
intelligence...